>

Janela para o mundo

19/08/2021

Há sete anos a Parada de Cinema vem sendo a maior janela de exibição do cinema autoral no Piauí. Ao longo de suas edições, proporcionou o intercâmbio de produtores, ofertando oficinas de capacitação técnica e incentivando a produção local e nacional, gerando uma cadeia promotora do audiovisual. 

Mas a maior estratégia da Parada é ser, para além de um espaço de exibição de filmes, uma oportunidade de encontro e reflexão através da linguagem do cinema. A participação marca a vida e o trabalho de jovens cineastas que despontam em cada realização.

Muitos filmes passaram pelas telas dessa mostra, com curadoria sensível para identificar nos filmes inscritos a diversidade da produção cinematográfica independente brasileira. Em todos os anos, a Parada exibiu produções que proporcionaram reflexões críticas acerca de questões e aspectos sociais – filmes estes muitas vezes feitos por jovens produtores, que trabalham visando a comunidade ou o lugar onde vivem.

Foi assim, por exemplo, para Wesley Oliveira, diretor do filme “O pranto do artista”, exibido na edição de 2018. O documentário acompanha os últimos dias de um circo instalado na periferia de Timon, no Maranhão. “A Parada serviu como um batizado, antes do filme ganhar o mundo”, diz o cineasta, que depois participou de outros festivais e ganhou premiações. “Estar ali, ser legitimado como realizador, ver o filme na telona com outros importantes filmes nacionais e ter um retorno do público ao final das sessões e da própria crítica especializada foi importante para nós e para o setor”.

A Parada de Cinema também inseriu outras produções piauienses no circuito de mostras e festivais contemporâneos. Passaram pelas sessões também os filmes “A ampulheta” (Thiago Furtado, 2016), “Deixa a chuva cair” (Juscelino Ribeiro, 2016), “Mulheres de visão” (Milena Rocha, 2018) e “Rio Riso Desafio” (Javé, 2018) entre outros. “Abrimos espaços para filmes que enfrentam dificuldades em participar de outros circuitos de exibição”, diz Tássia Araújo, curadora e realizadora da mostra.

Em 2021, novos filmes produzidos por cineastas locais virão por aí. É só aguardar!